Acupuntura


Acupuntura

A acupuntura consiste na aplicação de agulhas, em pontos definidos do corpo, chamados de "Pontos de Acupuntura" ou "Acupontos", para obter efeito terapêutico em diversas condições.

A Acupuntura é o conjunto de conhecimentos teórico-empíricos da Medicina Tradicional Chinesa - MTC -  que visa à terapia e à cura das doenças através da aplicação de agulhas e de moxas, além de outras técnicas.
Esta ciência surgiu na China,  há aproximadamente 4.500. 
A história da acupuntura confunde-se com a história da medicina na China. Seus primórdios remontam à pré-história chinesa. A linguagem escrita milenar permitiu a continuidade do conhecimento. Posteriormente, outros países orientais contribuíram para o desenvolvimento das técnicas de acupuntura. As notícias sobre acupuntura no ocidente chegaram com os primeiros exploradores europeus que visitaram o império Chinês, ainda na idade média.
Embora seja tão antiga, muito tem se descoberto em pesquisas científicas recentes, o quanto ela é eficaz em tratamentos físicos, sendo assim, continua sendo um campo aberto à pesquisa e a novos conhecimentos. Ao longo dos anos, tem havido muita inovação relacionada com seus princípios, meridianos e pontos.
Os conhecimentos da Acupuntura foram transmitidos de geração em geração. No entanto, a maior parte de sua terminologia não se enquadra dentro da nomenclatura moderna, o que restringe sua plena aceitação nos meios científicos. As recentes pesquisas demonstram que as velhas fórmulas e princípios da Acupuntura não foram ainda superados.
De acordo com a MTC, o tratamento através da Acupuntura visa à normalização dos órgãos doentes por meio de um suporte funcional que exerce, assim, um efeito terapêutico.
Segundo a teoria da Acupuntura, todas as estruturas do organismo se encontram originalmente em equilíbrio pela atuação das energias Yin e Yang.
A Acunpuntura não está voltada diretamento para os agentes agressores externos e, por issoo, seu tratamento não visa apenas a tratar o local comprometido no corpo, mas age sobre todo o sistema nervoso, estimulando o mecanismo de compensação e equilíbrio em todo o corpo, para com isso sanar a doença. Por exemplo, no caso de doenças dolorosas, o tratamento implica não só o controle da dor em si, mas também a busca e a cura de sua causa.
Bibliografia: 

WEN, Tom Sintan. Acupuntura Clássica Chinesa.
Wikipédia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Acupuntura#Hist.C3.B3ria_da_acupuntura
IIMPERADOR AMARELO, Princípios de Medicina Interna do

Dentro do tratamento de Acupuntura nós terapeutas podemos recorrer a utilização de técnicas complementares da MTC, tais como:

Moxabustão




De história milenar, originária do norte da China, moxabustão - 灸 - jiŭ (pinyin) significa, literalmente, "longo tempo de aplicação do fogo", uma espécie de acupuntura térmica, feita pela combustão da erva Artemisia sinensis e Artemisia vulgaris.

A moxabustão tem a propriedade de aquecer pontos de acupuntura, removendo as obstruções dos "canais" ou meridianos, eliminandoo o frio e a umidade, normalizando a circulação energética nos vários meridianos (canais). Ela, além disso, favorece variações elétricas e enzimáticas da pele.
Devemos dizer, que a metodologia mais prática e difundida é a do bastão de Artemísia. A artemísia é uma planta (Artemisia Vulgaris) que cresce principalmente na China e possui propriedades de cura particulares. Devidamente trabalhada, é transfomrada em pequenos bastões (varetas), em pequenos cones, mas pode ser usada também no estado natural, e, quando está incansdecente, irradia calor e raios infravermelhos.
Desde os tempos mais remotos, a moxabustão é aplicada juntamente com a acupuntura: o terapeuta coloca os cones de artemisia diretamente sobre os pontos a serem tratados ou sobre a cabeça da agulha fincada no ponto, que aquecida irradia calor em profundidade.
Clinicamente, há três métodos de aplicação: os cones da moxa, os pequenos bastões e as agulhas aquecidas.

Aplicação direta: com os cones aplicados sobre a pele. É necessário retirar o cone antes que ele se consuma completamente. Dependendo do que se deseja alcançar, coloca-se uma fatia muito fina de gengibre entre o cone e a pele. No caso do umbigo, é preenchido com sal grosso e coloca-se o cone sobre ele.

Aplicação indireta: usa-se o pequeno bastão a uma distância segura para a pele. Ele deve ser movimentado, afastando ou aproximando-o da pele.





Aplicação com agulhas quentes: coloca-se a agulha no pontoo exato, envolvendo-a com lã de moxa, e depois se acende. Este método é indicado para os pacientes que sofres de dores nas articulações, de "desmeneralização" dos ossos e de doenças crônicas. 






A moxabustão é um tratamento excelente para coluna, reumatismos, torções, tensão muscular, osteoporose, tendinites,  etc...

Bibliografia:
SCILIPOTI, Domenico. Moxabustão. Editora Icone.
Wikipédia - http://pt.wikipedia.org/wiki/Moxabust%C3%A3o


Ventosa 




É um tipo de terapia adotado em diversas correntes das práticas complementares,  que emprega ventosas.

Esta forma de terapia é utilizada desde tempos remotos em quase todas as civilizacões, como a européia, oriental, africana e indígena.
Os indios usavam chifres e faziam a vácuo sugando o ar, os orientais costumavam empregar o bambu, e a europa desenvolveu a ventosa como conhecemos hoje, empregando o vidro.
Os copos redondos de vidro são aquecidos internamente com fogo, que cria um vácuo em seu interior, gerando uma força de sucção. Os copos são aplicados imediatamente após o aquecimento em áreas especificas da pele que necessitam de tratamento, principalmente nas costas.

Seu uso é indicado para tratar diversas doenças, principalmente em dores causadas por tensões, contraturas musculares, stress, etc....

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! Obrigada pelo seu comentário! Abraços e luz!

Olá, Seja muito bem vindo!!!

Este é o lugar para tratar do corpo e da alma!!!!