quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Armelle Six no Brasil em março de 2015


O ESPAÇO KUAN YIN apóia esse programa!
www.terapiasecursos.com.br



Armelle nos lembra que nós já somos o que estamos procurando. Nós sempre fomos isso e nada além disso, então não há nada para buscar!
Ela sugere que possamos reverter a premissa a partir da qual o mundo é criado e aceitar a realidade da existência: de que não existe – nem nunca houve – nenhuma separação. Armelle nos convida a tomar 100% de responsabilidade por nossa experiência e a reconhecer que nunca houve uma vítima de nada, e que nós sempre temos o poder de mudar tudo.
Ela nos convida a observar onde existe retenção do movimento natural dentro de nós, e portanto o aparecimento, no momento, de limitações e julgamentos, que quando validados, nos desconectam daquilo que somos, de nós mesmos. Ao seguirmos o fluxo da vida, seguindo o movimento que habita em nós em todos os momentos, instantaneamente permitimos que todas as limitações e condicionamentos que nos impusemos caiam e revelem a presença daquilo que sempre foi. Ser audacioso e ousar adotar a perspectiva absoluta em todas as áreas da sua vida - de amor incondicional, de ser 100% responsável, de que o que está acontecendo é sempre sobre mim -, é reconhecer o que nós somos!
Todo o poder dado à imagens e pensamentos naturalmente caem conforme a obviedade do que somos – além das palavras, conceitos e conhecimento – se impõe, e a felicidade que estávamos buscando em uma experiência específica, é vivida aqui e agora, nesse silêncio indefinível.
Armelle está aberta a qualquer convite para viajar e falar onde quer que haja um chamado profundo para viver a simplicidade da mensagem que ela compartilha.

Se você se interessa, por favor, entre em contato:
(11) 98129 1471 com Sandra  ou 99660 8446   com Cristina 
E-mail: terapiasecursos.com.br (Sandra)
ou 
criscasa8@yahoo.com.br (Cristina)

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

CURSO DE ASTROLOGIA E FLORAIS DE BACH




Para quem trabalha com os Florais de Bach, mas deseja aprofundar o seu conhecimento através do uso da Astrologia, venha fazer o curso! 
Essa prática auxilia o terapeuta a compreender questões essenciais da personalidade do cliente, através de uma análise astrológica em que os Florais de Bach funcionam como um instrumento maravilhoso na elevação dos seus potenciais!
Os Florais do Dr. Edward Bach são usados para curar pela ação da essência sobre o caráter, a personalidade e a mente do indivíduo. Ao combinar as essências florais com a Astrologia, podemos determinar uma Essência Astrológica de Manutenção de Bach.
A essência de Manutenção, que é obtida astrologicamente, é um composto personalizado que atende às condições de personalidade, caráter, e disposição, sendo diagnosticado por um exame do mapa do nascimento. Não é considerado de emergência (como o Rescue Remedy). 
Abraços

Mais informações?
Sandra Baptista
(11) 98129 1471

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

FLORAIS DE BACH - Gotas de Luz

As essências florais são extratos líquidos naturais e altamente diluídos de flores, plantas e arbustos, que se destinam ao equilíbrio dos problemas emocionais. O objetivo da terapia floral é o equilíbrio das emoções do paciente buscando a consciência plena do seu mundo interior e exterior. Problemas de saúde frequentemente têm suas origens nas emoções; sentimentos que foram persistentemente reprimidos irão emergir, primeiro como conflitos mentais e depois como doença física.
Procure sempre um terapeuta!
Sandra Baptista
celular: (11) 98129 1471
email: terapiasecursos@uol.com.br
Atendimentos e Cursos presenciais ou Skype

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Curso Completo de Florais de Bach


A História dos Florais de Bach se inicia quando Dr. Edward Bach, médico inglês, dentro de seu ideal de vida buscava uma forma de curar que fosse simples e acessível a todos independente de sua formação, bastando para isso que tivesse a real vontade de ajudar ao próximo.

As essências Florais de Bach auxiliam o indivíduo a equilibrar suas emoções e seus sentimentos, trazendo  a solução para seus conflitos internos. trata desequilíbrios como: a depressão, o medo, cansaço físico e mental, desespero, a incerteza e, baixa auto estima, mágoas e ressentimentos, irritação e impaciência, sentimentos de culpa,  traumas, vícios, dificuldade de aprendizagem e concentração, etc..

O Curso Completo de Florais de Bach oferece uma formação sólida e segura para você que deseja conhecer melhor a si mesmo e ajudar a outros no caminho do autoconhecimento e auto cura, tenha instrumentos necessários para facilitar esse processo.

Com o Curso Completo de Florais de Bach você vai aprender desde a História do descobridor deste sistema de cura, Dr. Edward Bach, até sua aplicação em si mesmo, seus familiares, amigos e aqueles que o procurarem.

A facilitadora e Practitioner – terapeuta floral, Sandra Baptista, formada pelo Bach Centre, conta com 8 anos de experiência na aplicação e no ensino deste sistema de Terapia Natural, entre outros, contando com alunos e pacientes de várias partes do mundo, como Portugal, Alemanha, Estados Unidos, Japão e em todo Brasil.

O Curso Completo de Florais de Bach em sua forma presencial apresenta uma estrutura de 10 aulas dinâmicas, com apresentação de material didático visual e uso de apostila, sendo uma aula por semana com duração de 2h. A carga horária total do curso é de 30h, sendo 20h de aulas e 10h para exercícios e pesquisas.

Para o Curso Completo de Florais de Bach não é exigido formação prévia em outros sistemas de cura, basta que tenha uma mente aberta para receber um conhecimento tão valioso e a reta vontade de aprender.

E para você que já tem essa formação, o Curso Completo de Florais de Bach o beneficiará trazendo novas formas de abordagens deste sistema tão rico, além da troca de conhecimentos e experiências tão necessárias à nossa prática.

Para quem não está na cidade de São Paulo trazemos uma novidade: Curso Completo de Florais de Bach à distância através do Skype, assim você terá a dinâmica de uma aula presencial interagindo em tempo real com a facilitadora.

O que você irá aprender no Curso:

A História do Dr. Edward Bach e sua jornada de descobrimento do método de cura pelas flores;
A Filosofia do Sistema de Terapia Floral;
Os 12 Curadores;
Os 7 Auxiliares;
Os 19 Assistentes;
Identificação das 38 essências;
Rescue Remedy;
Manipulação dos Remédios;
Aplicação;
Exercícios.

O aluno receberá o material didático e certificado ao final do Curso e estará habilitado para a prática terapêutica dos Florais de Bach.

Para informações sobre valores e horários, entre em contato conosco:

Tel. (11) 98129 1471 (TIM)
       (11) 2865 9598
E-mail: terapiasecursos@uol.com.br
Facebok.com/terapiasecursos

domingo, 6 de outubro de 2013

A árvore torta




Um dia, diante de uma velha árvore torta, um pinheiro todo vergado pelo tempo, o sábio da aldeia ofereceu a sua própria casa para aquele discípulo que conseguisse ver o pinheiro na posição.
Todos se aproximaram e ficaram pensando na possibilidade de ganhar a casa e o prestígio, mas como seria enxergar o pinheiro na posição.
O mesmo era tão torto que a pessoa candidata ao prêmio teria que ser no mínimo contorcionista.
Ninguém ganhou o prêmio e o velho sábio explicou ao povo ansioso, que ver aquela árvore em sua posição correta era vê-la como uma árvore torta.
Só isso!
Nós temos em nós, esse jeito, essa mania de querer consertar as coisas, as pessoas, e tudo mais de acordo com a nossa visão pessoal.
Quando olhamos para uma árvore torta é extremamente importante enxergá-la como árvore torta, sem querer endireitá-la, pois é assim que ela é.
“Se você tentar; endireitar” a velha árvore torta, ela vai rachar e morrer...
por isso é fundamental aceitá-la como ela é.
Nos relacionamentos é comum um criar no outras expectativas próprias, esperar que o outro faça aquilo que ele sonha; e não o que o outro pode oferecer.
Sofremos antecipadamente por criarmos expectativas que não estão ao alcance dos outros.
Porque temos essa visão de consertar o que achamos errado.
Se tentássemos enxergar as coisas como elas realmente são muito sofrimento seria poupado.
Os pais sofreriam menos com os seus filhos.
Tente, pelo menos tente, ver as pessoas como elas realmente são. Pare de imaginar como elas deveriam ser, ou tentar consertá-las da maneira que você acha melhor.
O torto pode ser a melhor forma de uma árvore crescer.
Não crie mais dificuldades no seu relacionamento, se vemos as coisas como elas são, muitos dos nossos problemas deixam de existir, sem mágoas, sem brigas, sem ressentimentos.
Olhe para você mesmo com os olhos de ver, e enxergue as possibilidades, as coisas que você ainda pode fazer e não fez.
Pode ser que a sua árvore seja torta aos olhos das outras pessoas, mas pode ser a mais frutífera, a mais bonita, a mais perfumada da região, e isso, não depende de mais ninguém para acontecer, depende só de você!
Pense nisso...

Paulo Roberto Gaefke

quinta-feira, 11 de abril de 2013

O Transtorno Bipolar



CONHECENDO O INIMIGO



No passado, o transtorno bipolar era conhecido pelo nome de psicose maníaco-depressiva, uma doença psiquiátrica caracterizada por alternância de períodos de depressão e de hiperexcitabilidade ou mania. Nesta fase, a pessoa apresenta modificações na forma de pensar, agir e sentir e vive num ritmo acelerado, assumindo comportamentos extravagantes como sair comprando compulsivamente tudo o que vê pela frente, ou então investindo em empreendimentos acreditando que renderão lucros vertiginosos, ou envolvendo-se em experiências perigosas sem levar em conta o mal que podem causar. 
Sabe-se que os transtornos bipolares estão associados a algumas alterações funcionais do cérebro, que possui áreas fundamentais para o processamento de emoções, motivação e recompensas. É o caso do lobo pré-frontal e da amígdala, uma estrutura central que possibilita o reconhecimento das expressões fisionômicas e das tonalidades da voz. Junto dela, está o hipocampo que é de vital importância para a memória. A proximidade dessas duas áreas explica por que não se perdem as lembranças de grande conteúdo emocional. Por isso, jamais nos esquecemos de acontecimentos que marcaram nossas vidas, como o dia do casamento, do nascimento dos filhos ou do lugar onde estávamos quando o Brasil ganhou o campeonato mundial de futebol.

Outro componente envolvido com os transtornos bipolares é a produção de serotonina no tronco-cerebral (o cérebro arcaico), uma substância imprescindível para o funcionamento harmonioso do cérebro.Depressão e Euforia
O transtorno bipolar é um desses distúrbios psiquiátricos. A doença causa variações de humor, que podem ser súbitas ou não. Como indica o nome do problema, o paciente manifesta episódios de depressão e de euforia em fases alternadas. A duração e a intensidade dessas ocorrências varia conforme o tipo da doença e as características pessoais de quem sofre com o distúrbio.

Sintomas do Transtorno

Você pode estar pensando: “todo mundo tem variações de humor”. Na verdade, essas oscilações fazem parte da vida, mas existem diferenças entre a normalidade e a patologia. Os sintomas da doença podem confundir até mesmo os médicos. Por isso, é importante procurar um especialista que possa analisar todas as características com cautela. 
Entenda os principais sintomas:
·                    Depressão — apatia, tristeza, desinteresse, isolamento social, alterações no sono, perda de concentração e outros;
·                    Mania – euforia, agitação, compulsão, fala acelerada, insônia, agressividade, delírios e alucinações;
·                    Hipomania – sintomas parecidos com o da mania, mas que se apresentam de forma mais moderada.
Tratamento da Bipolaridade
A medicina não apresenta cura para o transtorno bipolar, mas existem medicamentos que podem controlar os sintomas da doença. O grande problema é o diagnóstico correto, que pode levar muitos anos para ser feito. Além da medicação, outras medidas auxiliam no tratamento do distúrbio, como:
·                    Praticar exercícios físicos;
·                    Evitar o uso de drogas, álcool e cigarro;
·                    Buscar atividades relaxantes e prazerosas;
·                    Tratamento psicológico.

Se você conhece alguém que manifesta alguns dos sintomas do transtorno bipolar, ofereça todo o apoio necessário e ajude-a a procurar atendimento com um médico psiquiatra. O tratamento traz mais qualidade de vida para o paciente.

COMO A FAMÍLIA E AMIGOS PODEM AJUDAR?


Antes de mais nada é necessário conhecer a doença e o tratamento do transtorno bipolar do humor. Mesmo assim, cada novo episódio representa um desafio, porque se misturam problemas individuais, questões pendentes, características de cada família.

O apoio ao tratamento é fundamental para ajudar o paciente em momentos difíceis a manter os medicamentos na dose certa e no horário prescrito. Bastam alguns dias sem tomar a medicação ou tomando menos que necessário para que entre em nova crise. Compreender os sintomas não como seu jeito de ser, mas como doença, alivia muito e reduz o sentimento de culpa no deprimido. O doente em euforia requer firmeza e paciência, porque o relacionamento se torna mais desgastante. Ele pode recusar as orientações da família, alegando que agora toda vez que se sentir feliz e de bem com a vida logo pensam que está em mania. A intervenção junto ao médico antes que perca a autocrítica previne conseqüências piores ou eventual internação.

- se os medicamentos estiverem causando efeitos colaterais muito incômodos e o paciente mencionar que quer parar com tudo isso, o médico deve ser informado;

- detectar com o paciente os primeiros sinais de uma recaída; se ele considerar como intromissão, afirmar que é seu papel auxiliá-lo;

- falar com o médico em caso de suspeita de idéias de suicídio e desesperança;

- compartilhar com outros membros da família o cuidado com o paciente;

- estabelecer algumas regras de proteção durante fases de normalidade do humor, como retenção de cheques e cartões de crédito em fase de mania; auxiliar a manter boa higiene de sono;
programar atividades antecipadamente.

- mesmo depois da melhora, há um período de adaptação e desapontamento; é importante não exigir demais e não superproteger; auxiliá-lo a fazer algumas coisas, quando necessário;

- evitar chamar o paciente de louco ou demonstrar outros sinais de preconceito, que favorecem o abandono do tratamento; tratá-lo normalmente e apontar sintomas com carinho;

- aproveitar períodos de equilíbrio para diferenciar depressão e euforia de sentimentos normais de tristeza e alegria.

COMO O PACIENTE PODE SE AJUDAR?


A pessoa mais interessada no próprio bem-estar é quem está doente. O paciente com transtorno bipolar do humor tem uma doença que costuma durar a vida toda, que se mantém sob controle com tratamento adequado. Cabe a ele o esforço de manter o tratamento: é ele quem toma os medicamentos - ou não. Ninguém pode forçá-lo, a não ser em situações que ponham em risco a sua segurança ou a de outros. Portanto, se você é portador do transtorno bipolar:

- comprometa-se com o tratamento - discuta dúvidas com seu médico, eficácia dos estabilizadores do humor, intolerância a efeitos colaterais, etc.;

- mantenha uma rotina de sono; mudanças no sono ou redução do tempo total de sono podem desestabilizar a doença; converse com seu médico, caso precise mudar o hábito de dormir;
- evite álcool e drogas; além de interagirem com algumas medicações, também agem no cérebro, aumentando o risco de desestabilização da doença; se tiver insônia ou inquietação, não se automedique - converse com seu médico;

- evite outras substâncias que possam causar oscilações no seu humor, como café em excesso, drinques, antigripais, antialérgicos ou analgésicos - eles podem ser o estopim de novo episódio da doença;

- enfrente os sintomas sem preconceito - discuta com seu médico sobre ele;

- se não estiver podendo trabalhar, "não queime o filme" - é mais sensato tirar uma licença, conversar com a família ou com o patrão, e se permitir convalescer;

- lembre-se: você está bem por tomar a medicação; se parar de tomá-la, mesmo após 5 ou 10 anos, os sintomas podem voltar sem prévio aviso; é preciso manter-se alerta para o aparecimento dos primeiros sinais, como insônia e irritabilidade;

- há indícios de que quanto mais crises da doença a pessoa tiver, mais ela continuará tendo, por isso, procure participar ativamente do tratamento;

- descubra seus sintomas iniciais de nova crise depressiva ou maníaca - tome nota e avise imediatamente seu médico;

- aproveite períodos de bem-estar para redescobrir como você de fato é; como são os sentimentos de tristeza, alegria, disposição e como você lida com seus problemas;

- quanto mais você conhecer a doença, melhor você poderá controlar os sintomas no período inicial; proteja-se: evite estímulos de risco em potencial, como decisões importantes, relações sexuais sem preservativos, projetos ambiciosos, gastos - ponha seus planos no papel e espere para executá-los quando se reequilibrar; procure canalizar hiperatividade ou idéias negativas para atividade física ou manual; se estiver deprimido, dê-se um empurrão, pois a iniciativa está em baixa;

- procure e aceite ajuda da família e dos amigos quando perceber que não consegue se cuidar sozinho.

- é comum querer parar o tratamento, ou porque vai tudo bem, ou porque não está dando certo; procure conversar com outras pessoas com o mesmo problema, que já passaram por isso; lembre-se de como era seu sofrimento; discuta com a família se valeria a pena buscar uma segunda opinião sobre o diagnóstico e o tratamento.

Temporariamente o paciente pode ficar inapto a se tratar adequadamente. Nestas fases a intervenção amiga da família é fundamental.

MENSAGEM FINAL


Há quem considere que o transtorno bipolar do humor "é como um animal selvagem em sua mente, pronto para escapar a qualquer momento", e que precisa de grades fortes para ser contido. Às vezes a porteira se abre um pouco e ele volta a ameaçar - o importante é não deixá-lo à solta. A luta a ser travada com esse animal é longa e difícil, mas vale a pena - vale o resgate da própria vida.

Compartilhar essas lutas com outros pacientes e familiares pode servir de exemplo e motivar quem está a ponto de desistir de si mesmo. São bem-vindas iniciativas como as da ABRATA (Associação Brasileira de Transtornos Afetivos), que auxilia no amparo aos pacientes através da própria experiência com o transtorno afetivo bipolar.

As terapias complementares, como Florais de Bach, Cromoterapia, Acupuntura e outras, poderão aliviar muito os sintomas, e ajudar o paciente a encontrar o equilíbrio necessário à sua harmonia física e espiritual.  Essas terapias  funcionam como excelentes auxiliares, mas deve-se sempre procurar a orientação de um médico especializado.


Fontes:
http://drauziovarella.com.br/clinica-geral/transtorno-bipolar/
http://www.abrata.org.br/site/depressao/transtornoBipolar.asp
http://natural.enternauta.com.br/

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Empatia



As pessoas se preocupam em ser simpáticas, mas pouco se esforçam para ser empáticas, e algumas talvez nem saibam direito o que o termo significa. Empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro, de compreendê-lo emocionalmente. Vai muito além da identificação. Podemos até não sintonizar com alguém, mas nada impede que entendamos as razões pelas quais ele se comporta de determinado jeito, o que o faz sofrer, os direitos que ele tem. É um assunto recorrente: precisamos de mais gentileza etc. e tal. Para muitos, puxar uma cadeira para a moça sentar ou juntar um pacote que alguém deixou cair, basta. Sim, somos todos gentis, mas colocar-se no lugar do outro vai muito além da polidez e é o que realmente pode melhorar o mundo em que vivemos. A cada pequeno gesto diário, a cada decisão que tomamos, estamos interferindo na vida alheia. Logo, sejamos mais empáticos do que simpáticos. Ninguém espera que você e eu passemos a agir como heróis ou santos, apenas que tenhamos consciência de que só desenvolvendo a empatia é que se cria uma corrente de acertos e de responsabilidade – colocar-se no lugar do outro não é uma simples gentileza que se faz, é a solução para sairmos dessa barbárie disfarçada e sermos uma sociedade civilizada de fato. 
(Martha Medeiros)

Olá, Seja muito bem vindo!!!

Este é o lugar para tratar do corpo e da alma!!!!